quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Hurley Pro - Adriano é o brasileiro solitário em Trestles

Adriano de Souza é o único brasileiro vivo na prova em Trestles. Foto: ASP / Rowland
Por João Carvalho

O paulista Adriano “Mineirinho” de Souza é o único brasileiro que continua na disputa do título da etapa norte-americana do WCT em Trestles, na Califórnia. Ele vai brigar por uma vaga nas quartas de final do Hurley Pro com o australiano Taj Burrow, com quem já fez duas finais no ASP Tour. Mineirinho ganhou a do Billabong Rio Pro na Barra da Tijuca em 2011 no Rio de Janeiro, mas perdeu a da primeira etapa de 2012 na Gold Coast, Austrália. Quem vencer, enfrenta o norte-americano Patrick Gudauskas que acabou com o reinado de Kelly Slater em Lower Trestles. Com a derrota na terça-feira, o tricampeão desta etapa também perdeu a liderança do ranking para Mick Fanning, quando o australiano passou pelo brasileiro Alejo Muniz no duelo seguinte.

“Eu estava muito nervoso sabendo que isso poderia acontecer (derrota do Kelly) e entrei na bateria para fazer o melhor possível”, disse Mick Fanning. “E eu tive uma grande bateria com o Alejo (Muniz). Ele vem surfando de forma incrível nos últimos meses e foi bem estressante para vencer ele. Agora é concentrar na próxima, uma bateria com três surfistas que fica complicado nessa condição de mar”.

O mar variou bastante durante o dia e em alguns momentos as ondas ficavam muito pequenas, em outros as séries demoravam para entrar, mas no geral Lower Trestles apresentou boas esquerdas e direitas de 2-3 pés na terça-feira. Além de Kelly Slater, também ficou na terceira fase o outro finalista do Hurley Pro no ano passado, o atual campeão mundial Joel Parkinson. O australiano perdeu a última bateria para o compatriota Adam Melling, além da terceira posição no ranking para o sul-africano Jordy Smith, que foi o primeiro a garantir classificação direta para as quartas de final na terça-feira.

E mais quatro surfistas ainda podem tirar o quarto lugar de Joel Parkinson se conquistar o título da etapa norte-americana. Um deles é Adriano de Souza, semifinalista em Trestles no ano passado, bem como seu adversário no confronto que já virou um clássico no WCT. Desde a entrada de Mineirinho na elite em 2006, eles se enfrentaram nove vezes em duelos eliminatórios e a vantagem é grande do australiano que venceu seis baterias, contra três do brasileiro, como a do último encontro nesta mesma quinta fase do Billabong Rio Pro do ano passado no Postinho da Barra da Tijuca.

Mineirinho mostrou a força do seu backside nas esquerdas de Lowers Trestles para conquistar a única vitória brasileira na terceira fase do Hurley Pro. Ele passou fácil pelo havaiano Fredrick Patacchia, com uma larga vantagem de 16,00 a 9,43 pontos. Depois, Adriano disputou a rodada de baterias com três competidores e a vitória valendo vaga para as quartas de final. Com moral elevado depois de bater Kelly Slater, Patrick Gudauskas começou bem com nota 7,83 e ficou na frente até as ondas surfadas pelos três no último minuto. Mineirinho chegou a assumir a ponta com o 6,5 que recebeu, mas a do americano valeu 7,4 e ele comemorou seu melhor resultado desde 2010, quando entrou na elite do ASP Tour e alcançou as quartas de final em duas etapas.

Adriano de Souza agora vai tentar aproveitar a segunda chance de classificação contra Taj Burrow na segunda bateria da repescagem que abre o último dia do Hurley Pro nos Estados Unidos. É uma briga direta também por vaga no seleto grupo dos top-5 do mundo e quem vencer enfrentará Patrick Gudauskas na segunda quarta de final. Mais três brasileiros competiram na terça-feira em Lower Trestles, mas Filipe Toledo, Gabriel Medina e Alejo Muniz não passaram pela terceira fase e terminaram em 13.o lugar na Califórnia, com 9 mil dólares de prêmio e 1.750 pontos.

Curiosamente, Medina e Alejo fizeram o mesmo placar de 14,87 pontos e perderam por pouco para dois campeões mundiais. Medina não conseguiu outra onda boa para somar com a nota 8 da primeira que surfou na bateria com C. J. Hobgood. O norte-americano começou bem com 7,5, mas o brasileiro foi abrindo vantagem a cada onda, até chegar a 7,38 pontos com a nota 6,87 que tirou quando restavam 12 minutos para o término. C. J. ganhou 6,70 na primeira tentativa, mas conseguiu a vitória por 15,80 pontos com a nota 7,80 da onda que pegou nos últimos segundos da bateria.

Para Alejo Muniz, aconteceu o contrário. Ele e Mick Fanning ficaram trocando a liderança a cada onda surfada, até o bicampeão mundial conseguir uma nota 8,5 que deixou o catarinense precisando de 8,31 pontos para vencer. Alejo ainda surfou uma onda no critério excelente, só que recebeu nota 8,00 e faltou 0,31 para superar os 15,17 pontos do australiano. Com a vitória, Mick Fanning recuperou o primeiro lugar no ranking do WCT 2013 na Califórnia.

O último brasileiro a competir na terceira fase também ficou muito perto da classificação. Filipe Toledo liderou o confronto com Julian Wilson do primeiro até o último minuto, quando o australiano conseguiu a vitória com a nota 9,10 em uma onda iniciada com um aéreo reverse de backside sem as mãos na prancha. A bateria foi um show de aéreos e Filipe também apresentou os seus para tirar notas 8,17 e 7,90 em duas ondas seguidas, mas acabou derrotado no último minuto por 17,03 a 16,07 pontos.

Depois de fazer o maior placar da terceira fase, Julian Wilson também brilhou na bateria que fechou a terça-feira em Lower Trestles. Ele bateu todos os recordes registrados por Adriano de Souza no primeiro dia do Hurley Pro para conquistar a última vaga direta para as quartas de final. O australiano acertou até o aéreo trocando de base na aterrisagem que não tinha conseguido contra Filipe Toledo e aumentou a maior nota do campeonato de 9,73 para 9,87. Ainda computou um 9,20 para totalizar 19,07 pontos, superando os 18,83 do Mineirinho igualmente no último confronto do domingo.

A primeira chamada da repescagem para completar os duelos das quartas de final do Hurley Pro, foi marcada para as 7h30 da quarta-feira em Lower Trestles e a primeira bateria do dia será entre o americano C. J. Hobgood e o australiano Kai Otton. Adriano de Souza entra na segunda com Taj Burrow, Mick Fanning na seguinte com o sul-africano Travis Logie e a última vaga nas quartas de final será disputada pelos australianos Josh Kerr e Adam Melling.


Nenhum comentário:

Postar um comentário