sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

World Tour 2014 - Gabriel Medina, a alegria do crowd

Depois de tantos anos, enfim podemos dar a notícia mais aguardada na história do surf brasileiro: Gabriel Medina, campeão mundial do ASP World Tour 2014!
A gente espera a vida toda para ver um brasileiro ganhar o troféu da ASP. Aí, quando o cara ganha, faltam as palavras que a gente achava que iria encontrar quando precisasse delas para descrever esta situação.

Enfim, vejo que no Facebook já escreveram tudo a respeito do garoto de Maresias. Não preciso ficar aqui repetindo os detalhes das baterias. E a imprensa mundial tratou de aplaudir. E a imprensa brasileira se viu obrigada a pesquisar um pouco para entender o que está acontecendo.

Brincadeira o que aconteceu ontem, muito emocionante acompanhar a vitória do Gabriel Medina. A transmissão deste Pipe Masters foi simplesmente impecável e era como se a gente estivesse na boca do tubo ou no melhor lugar da praia para acompanhar o dia histórico.

A presença de Peter Mel como comentarista dentro do mar foi a sacada mais legal do webcast. Além de ser um cara engraçado, o big rider não fica de oba-oba nem de puxa-saco dos amigos. Ele elogiou o Medina o tempo todo e parecia estar muito satisfeito por documentar a primeira vitória de um sul-americano no ranking da ASP.

Mas, o Peter Mel não tem nada a ver com a nossa história, um lance que vem lá dos Kahunas do Arpex e que se espalhou de norte a sul pelo Brasil nos anos 70. E que agora chega ao ápice justamente com este garoto sensacional de Maresias.

Absolutamente merecido este título. Um cara que ganha de virada do local em Snapper; dá uma dura no Slater em Teahupoo; vence em Fiji e é vice em Pipe, simplesmente não tem pra ninguém. Parabéns também para a família, que levou o garoto ao topo sem depender de governo nenhum para subir na vida. Até porque se fossem depender do governo era capaz de o garoto não ter nem para o da inscrição.

Agora vai aparecer muito parente, muito amigo de última hora, um monte de pai da criança. Mas, como bom filho de Maresias, uma onda pesada e tubular do litoral paulista, ele não tem que dar recibo pra ninguém, a não ser à família, a Rip Curl e aos grandes surfistas brasileiros que deixam sua contribuição aos garotos como ele, de Ricardo Bocão a Roberto Valério; de Pepê Lopes a Dadá Figueiredo; de Cisco Araña a Picuruta Salazar; de Fabinho Gouveia a Teco Padaratz; de Luiz Neguinho a Tinguinha Lima; de Fabinho Silva a Jojó de Olivença; de Carlos Burle a Danilo Couto; de Pedro Muller a Cauli Rodrigues e por aí vai, pois são muitas influências e muitas referências para contar uma história que ainda tem muito o que ser contada e desvendada.

Este foi apenas o melhor capítulo. Valeu, Medina, obrigado por nos dar a oportunidade de testemunhar estas cenas que a gente só via com os gringos nos papéis principais.

Agora, sem a pressão de ser campeão mundial, o moleque vai surfar ainda melhor. Kelly Slater é e ainda será por muitos anos o melhor da história. Isso nem se discute. Mas, está na cara que ele já não tem o mesmo vigor, o mesmo apetite e aquela loucura toda de ganhar e ainda romper com todos os limites.

Enfim, foi muito legal ver o Medina como o primeiro campeão mundial brasileiro. Agora eu quero ver o Mineiro campeão. É muito bom ter um campeão mundial de surf. Sonhar com a galera quebrando tudo também é muito bom. Agora vai!



terça-feira, 25 de novembro de 2014

Surfstars tem lançamento na Starpoint


Nesta 5a feira, 27 de novembro, será lançado oficialmente o aplicativo para celular "Surfstars", em evento na loja Star Point de Moema, que contará com a presença do surfista profissional Sylvio Mancusi, que faz parte do time de atletas da marca.

Disponível gratuitamente na Apple Store e na Google Play, o app é um jogo onde os usuários dão palpites sobre o resultado das etapas do WCT, acumulam pontos, formam o ranking Surfstars e concorrem a prêmios. A intenção é atender a um desejo do público que adora acompanhar, torcer e se divertir com os amigos palpitando sobre o circuito mundial. 

O jogo é aberto para palpites a cada etapa, assim que é divulgada a grade oficial do Round 1. A pontuação é por acerto de atleta em cada round, até a final, de forma crescente. No total, são 51 palpites e a chance de acumular até 10.000 pontos por etapa. 

Realizado com o apoio da Star Point, o aplicativo em 2015 irá promover prêmios por etapa e para os melhores colocados do ranking Surfstars. A ideia de lançar o app antes da última etapa de 2014, em Pipeline, pega carona no momento inédito e especial vivido pelo surf nacional, especialmente pela possibilidade do Gabriel Medina se tornar o 1º brasileiro campeão mundial, e dá a oportunidade das pessoas conhecerem como o app funciona, já concorrendo a prêmios incríveis. 

Serão 10 premiados em 2014, com kits que incluem prancha, quilhas, deck, leash, capa toalha, walkshorts, boardshorts e camisetas.

"Este é um jogo que nós, como surfistas e fãs do circuito mundial de surf, queríamos que existisse há muito tempo. Juntar a diversão dos palpites, a competição em forma de ranking, prêmios para serem usados no dia-a-dia do surf, numa plataforma móvel, é a combinação perfeita", comentam Luis França e Lucio Novaes, idealizadores do Surfstars. 

O app também prevê a possibilidade de realizar parcerias e patrocínios com empresas que tem interesse em investir no esporte, o que vem crescendo nos últimos anos no mercado brasileiro. 

Serviço:
Evento - Lançamento Surfstars
Data: 27 de novembro - 5a feira
Horário: das 18h as 23h
Local: Star Point Moema
Endereço: Av. Iraí, 224- - São Paulo
Fone: 5561-1504

Para saber mais, acesse:

Star Point:
Site: www.starpoint.com.br
Facebook: facebook.com/starpointoficial
Instagram: @star_point

Surfstars:
Site: www.surfstars.net
e-mail: contato@surfstars.net
- - - 
Informações à imprensa:
MktMix Assessoria de Comunicação
Tânia Otranto/ Balia Lebeis / Roberto Ethel
Contato: Daniela Vinci
danielavinci@mktmix.com.br
Tel: (11) 3060-3640 r. 3613


sexta-feira, 21 de novembro de 2014

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Hit The Road Matt - Um filme de Fabiano Sperotto

Hit The Road Matt, atração do Mimpi 2014. Foto: Reprodução

Seis “surfistas”, sete pranchas, poucas roupas, uma caminhonete e muita vontade de sair da metrópole atrás de um destino, mas sem prazos nem compromissos definidos.

Aparentemente uma viagem de “surf” normal, não fosse por um cidadão novo, um australiano, Magain, Matt Magain, que viajando sem rumo pela América Latina caiu nessa viagem com outros cinco brasileiros.

Quase 4 mil km rodados entre Porto Alegre e Rio de Janeiro, mais de 15 diferentes picos surfados e incontáveis praias admiradas. O caminho: BR-101; o destino: a busca incansável por ondas, mas também por crescimento pessoal e vivências coletivas.

Matt, o "gringo", muitas vezes não sabia ao certo o que estava acontecendo. Sem problemas, a viagem não tinha menos sentido para ele por isso. Muitas risadas, muitas conversas, tranquilidade, equilíbrio, paz, felicidade.

Na volta, sete pranchas, uma caminhonete, seis seres humanos e suas experiências do mar, da areia, dos pássaros, da mata, do rio e do Sol, dispostos a abrir novos horizontes para seu futuro, “let’s build a new world where we can actually live in”.

A memória ficou, uma memória dos cheiros, dos sons, das luzes, das sensações, uma memória que agora vai tentar ser narrada nesses quase oito minutos que buscam não ser um fragmento do mundo, mas um mundo em si mesmo.

Roteiro, direção e edição
Fabiano Sperotto

Assistentes de edição
Leonardo Boldrini
Luana Aversa
Gabriel Saudades

Imagens
Fabiano Sperotto
Matt Magain
Leonardo Boldrini
Lucas Fontes
Edgar Henkes
Luan Machado

Músicas

Suzie Q - Creedence Clearwater Revival
The Kind You Can't Afford - Madeleine Peyroux
Lebanese Blonde - Thievery Corporation

Apoio

boardshore.com.br
fb.com/boardshore
fb.com/shyllep


Kelly Slater: "Eu queria ser um mix de Tom Curren com aéreos"

Kelly Slater troca uma ideia com o pessoal da What Youth um dia depois de fraturar o dedo do pé em Fiji.
Ele fala de 540s, títulos mundiais, estilo, inspiração, motivação, progressividade, possibilidades matemáticas e outras coisinhas mais. Foto: What Youth


Tatoo Culture - Atlanta imprime a tradição


Destruição na ala psiquiátrica

Rob Miceli vasculha um prédio abandonado em Nova York com filmagem e edição de Sean Colello

Snoop Dogg - Piração ou inspiração?

Snoop e as dogguetes: as cachorras dão um trato com o pincel em vídeo pirado


terça-feira, 18 de novembro de 2014

Byron Bay Surf Festival - A cultura está viva



Três dias de música, arte, equipamentos, filmes, lifestyle, moda, shapers e várias atividades, desde trabalhos com quilhas de madeira a workshops, beach yoga, pilates e tudo que envolve saúde, fitness, literatura e muita onda para celebrar a cultura do surf em Byron Bay, Austrália, num dos festivais mais conceituados do esporte. Neste ano, presença de Tom e Nick Carroll, Nat Young, Jack McCoy e Albe Falzon ao Byron Bay Festival. 












Tati no Tahiti

Nascida no Hawaii, Tatiana Weston-Webb viaja a uma remota ilha no Tahiti na companhia de Anthony Walsh, Tika Smith e o irmão Troy.  Filha da bodyboarder gaúcha Tanira Guimarães, Tatiana encontra encontra ondas solitárias numa ilha no meio do nada, com águas claras e muita alegria para aproveitar a simplicidade da vida.



















segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Air Surfing - A arte de flutuar

Air Surfing é um curta criado por Raul X Mihai, com Shelby Welinder e Cameron Crockford.
A dupla flutua pela cidade de Nova York guiada por uma onda imaginária. Foto: Reprodução










Surforama Sessions - Taj e as gatinhas


Surforama é a produtora de vídeos de grandes fotógrafos e cinegrafistas: Daniel Smorigo, Gabriel Novis e Erick Proost.
No player abaixo, o aussie Taj Burrow quebra em Trestles durante o Hurley Pro, prova do WCT.
E, na areia, as gatas mais cobiçadas da Califórnia. Foto: Reprodução

sábado, 15 de novembro de 2014