sábado, 6 de setembro de 2014

Lisergia Clássica - A reinvenção do longboard

Jaime Viudes, à direita, reúne os amigos para o lançamento de Lisergia Clássica em Santos (SP). Foto: Divulgação


A pré-estreia do filme Lisergia Clássica em Santos reuniu lendas do surf e grandes nomes do
longboard. O tradicional Cine Roxy abriu suas portas na noite da última terça para a segunda
exibição do documentário, que tem direção do longboarder Jaime Viúdes, fotografia de Paulo
Camargo e produção da Galeria Filmes.

O evento foi um oferecimento da Fu Wax. Houve distribuição gratuita de ingressos na bilheteria do cinema e a sala estava cheia. Na plateia, nomes como Picuruta e Leco Salazar, família Paioli, Fuad, Elias e Wady Mansur, que veio do Rio de Janeiro para assistir ao filme. Além deles, Neco Carbone, Amaro Matos, Luis Juquinha, Carlos Argento, John Wolthers e tantos outros.

Os espectadores se divertiram durante o filme, participando com aplausos e interagindo com os personagens. Rafael Sobral, que produziu os filmes Longboard 2000 (2000) e Hang with us (2001), comentou: “Assisti mais uma vez o Lisergia Clássica. Muito feliz por fazer parte deste filme, que resgata a alma do longboard e traz personagens incríveis”.

Para Ronaldo Hipólito, o Pardal, pioneiro na fabricação de pranchas no Guarujá, a sessão
de Santos foi marcada por aquilo que realmente caracteriza uma tribo, "todos se conheciam". "A primeira sessão em Sampa reuniu pessoas ligadas aos surfistas, cinema e mídia, a de Santos reuniu personalidades das ondas. Muita alegria entre todos os presentes, a sessão foi marcada pela descontração do grupo do começo ao fim, com manifestações de vibração a cada cena”, disse.

“Fantástico o depoimento dos irmãos Mansur, de como resgataram e trouxeram de volta o Longboard. O reinício, a evolução e o estágio técnico atual demonstrado pela técnica de longboarders contemporâneos. Os temas e as amarrações do enredo foram profundamente reflexivas, um fórum de discussões e opiniões que impõem grandes questionamentos e um final de arrepiar. Passei um dos momentos mais felizes de minha vida”, disse José Paioli, pioneiro do surf de São Vicente.

O longboarder Jaime Viúdes também deixou uma mensagem: “Como disse em São Paulo, nunca tive pretensão de bancar o cineasta ou ser chamado de diretor. Sou apenas um surfista que queria fazer um filme de surf e acabou saindo um filme sobre surf, pois o conteúdo dos personagens é incrível. Cada um deles me inspira de alguma forma, tanto dentro como fora d'água, uns mais outros menos, mas isso é inegável. Se o filme está agradando, muito se deve a eles.”

A festa terminou com o sorteio de um skate Fish Skateboard e de um longboard clássico Neco Carbone / The KRYP Cool Boards / Beco do Longboard / Teccel. O Palhaço Saracura, que também é longboarder, apresentou-se como o sorteado, mesmo não sendo. Logo revelou-se que o sortudo foi Wagner Mingotti, um dos longboarders mais clássicos do Brasil e personagem do filme.

















Nenhum comentário:

Postar um comentário