quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Matemática do título - Gabriel Medina e a calculadora

Assessor de imprensa da ASP South America, João Carvalho faz as contas para informar as possibilidades de Gabriel Medina, líder do ranking do World Tour, sagrar-se campeão do mundo na prova de Portugal
Alertado por alguns internautas mais atentos sobre as possibilidades divulgadas no domingo para Gabriel Medina conquistar o título mundial por antecipação na Europa, é preciso corrigir a informação de que ele poderia ser consagrado campeão com os mesmos 56.550 pontos no ranking das nove etapas completadas na França. Isto desde que Kelly Slater também não passasse da terceira fase do Moche Rip Curl Pro Portugal e de uma combinação de resultados dos outros cinco concorrentes do brasileiro, os australianos Mick Fanning, Joel Parkinson e Taj Burrow, o taitiano Michel Bourez e o havaiano John John Florence. A verdade é que caso Medina só vença uma bateria em Portugal, a decisão do título vai automaticamente para o Havaí. 

Os dois principais candidatos ao título mundial têm 1.750 pontos dos seus piores resultados na temporada para trocar nesta penúltima etapa do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour 2014, que começa no próximo domingo, dia 12, com prazo para terminar até 23 de outubro nas ondas de Supertubos, em Peniche. E se Kelly Slater também não vencer mais de uma bateria em Portugal como Gabriel Medina e continuar com seus 50.050 pontos, ele ainda poderá atingir 58.300 com uma vitória no Billabong Pipe Masters no Havaí.

Isso já aconteceu no ano passado para os dois no Rip Curl Pro de Portugal, com ambos não conseguindo ganhar nenhuma bateria em Supertubos. Slater foi surpreendido pelo português Frederico Morais e Medina também ficou na primeira repescagem do campeonato, eliminado no duelo brasileiro com o catarinense Alejo Muniz. Mas, nos anos anteriores eles avançaram até as finais desta etapa, com Medina perdendo o título nos últimos segundos para o australiano Julian Wilson em 2012 e Slater também sendo vice-campeão na vitória verde-amarela de Adriano de Souza em 2011. Kelly tentava o bicampeonato em Supertubos, pois tinha vencido a etapa portuguesa do WCT em 2010.

A vitória no Moche Rip Curl Pro é o que Gabriel Medina precisa para confirmar o primeiro título do Brasil na história do Circuito Mundial, independente dos resultados dos outros seis concorrentes. Mas, ele começa a derrubar adversários se vencer duas baterias no mínimo em Portugal, quando passar para a quarta fase da competição. Aí já alcança 58.800 pontos no ranking e acaba com as chances do australiano Taj Burrow e do taitiano Michel Bourez. Além disso, força Kelly Slater a conseguir no mínimo um terceiro lugar em Portugal para levar a decisão para o Havaí, Mick Fanning ser finalista para continuar na briga e Joel Parkinson e John John Florence a vencerem as duas últimas etapas.

Avançando para as quartas de final, o brasileiro atinge 60.000 pontos e tira mais dois da corrida do título mundial, Joel Parkinson e John John Florence. Apenas dois continuarão com chances matemáticas, com Slater passando a precisar de um segundo lugar em Portugal e uma vitória no Havaí e Fanning a ganhar as duas etapas. Caso ele chegue nas semifinais, só não será consagrado como campeão mundial de 2014 se Slater ou Fanning vencerem o Rip Curl Pro, com ambos também necessitando da vitória no Billabong Pipe Masters para ultrapassar os 61.300 pontos que ficaria no ranking.

E se passar para a grande final do Moche Rip Curl Pro e terminar em segundo lugar como já conseguiu em 2012, contra o australiano Julian Wilson, Gabriel Medina também vai comemorar o título antecipado do Samsung Galaxy ASP World Championship Tour 2014 se a bateria decisiva não for contra Kelly Slater. Além da vitória nesta etapa, o onze vezes campeão mundial ainda continuaria precisando ganhar no Havaí para superar os 62.800 pontos que Medina atingiria com o vice-campeonato em Portugal.

POSSIBILIDADES DO TÍTULO MUNDIAL SER CONFIRMADO EM PORTUGAL:

- 25.o ou 13.o lugar de Gabriel Medina, o título fica para ser decidido no Havaí - Kelly Slater segue na briga com qualquer resultado e assume a liderança do ranking com vitória em Portugal, mas Mick Fanning precisaria chegar nas quartas de final para ter chances de título no Havaí, Joel Parkinson e John John Florence só ficam na disputa se forem finalistas em Portugal, enquanto para Taj Burrow e Michel Bourez só interessa a vitória nas duas etapas

- 9.o lugar na Quarta Fase - acabam as chances de Taj Burrow e Michel Bourez e Gabriel Medina será campeão mundial se Kelly Slater não chegar nas semifinais, se Mick Fanning não for finalista e se Joel Parkinson e John John Florence não vencerem o campeonato

- 5.o lugar nas Quartas de Final - Joel Parkinson e John John Florence saem da corrida do título e Gabriel Medina será campeão mundial se Kelly Slater não for um dos dois finalistas e se Mick Fanning não vencer a etapa

- 3.o lugar nas Semifinais - Gabriel Medina será campeão mundial se Kelly Slater ou Mick Fanning não forem o vencedor da etapa portuguesa

- 2o lugar na Grande Final - Mick Fanning sai da briga e Gabriel Medina será campeão mundial se Kelly Slater não for o vencedor, o que levaria a decisão do título para Banzai Pipeline no Havaí

- a vitória no Moche Rip Curl Pro Portugal garante o título mundial de 2014 para Gabriel Medina, mesmo que a bateria final seja contra Kelly Slater

O Moche Rip Curl Pro Portugal será transmitido ao vivo na internet pelo www.aspworldtour.com a partir do próximo domingo, dia 12, até 23 de outubro, ao vivo de Supertubos, em Peniche.

—————————————————————————————
João Carvalho - Assessoria de Imprensa da ASP South America
(48) 9988-2986 - jcarvalho@aspworldtour.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário